Arquivo

Archive for the ‘Celebridades’ Category

Teleton tem arrecadação recorde com Bolsonaro e Silvio Santos

11 de novembro de 2018 Deixe um comentário

Silvio Santos e Bolsonaro Teleton 2018

Silvio Santos fala com Bolsonaro durante Teleton. Bolsonaro faz doação e pede a todos que também doem qualquer quantia ao Teleton que teve arrecadação recorde este ano, com mais de trinta milhões em doações.

 

O Telethon (Television Marathon) foi idealizado e comandado por Jerry Lewis, desde 1966, tornando-se uma marca internacional e símbolo de arrecadação para doação aos deficientes. Na década de 90, por iniciativa de Décio Goldfarb (presidente da AACD) foram adquiridos os direitos de realização do Teleton no Brasil para doação à instituição. Hebe Camargo, que era colaboradora da instituição há anos,comunicou a Silvio Santos sobre o projeto. A partir de 1997, Silvio passou a comandar a arrecadação e televisioná-la pelo SBT. Nesta edição de 2018, Silvio Santos falou ao telefone com  Bolsonaro, que realizou uma doação e pediu, no ar, que todos doassem qualquer quantia ao Teleton. que teve arrecadação recorde.  Sílvio, além de expressar seu desejo de ver Bolsonaro por oito anos na Presidência da República e, na sequência,oito anos com Sérgio Moro como Presidente, também expressou gratidão e admiração pela atiude de Bolsonaro, dizendo:  “Nesses vinte e poucos anos que apresento o Teleton, é a primeira vez que um presidente faz a gentileza de ligar para o programa”.

 

Assista ao vídeo contendo a conversa entre Sílvio Santos e Bolsonaro.

Um Olhar Rosa

4 de novembro de 2018 Deixe um comentário

Aconteceu em 31 de outubro, na Mansão Hasbaya, o evento “Um Olhar Rosa” em beneficio do Instituto “Amor em Mechas”. Campanha Outubro Rosa, pela TV Tudo Web – Apoio: Um Olhar da Língua Portuguesa. O objetivo principal foi conscientização sobre o câncer de mama e a arrecadação de lenços e perucas para doação às mulheres que se submetem a quimioterapia.

O luxuoso evento contou com a presença de diversos apoiadores e expositores, celebridades e diversos artistas que abrilhantaram a noite, destacando-se:

Flavio Bala

Mari Amoroso e Dana El Fareda

Renato Racc, Katya Francisco e Ovadia Saadia

 

 

Anna Lou Olivier,Darci Martins e convidados

 

Eu, Anna Lou Olivier (Lou de Olivier), também participei ativamente deste evento doando 7 perucas dos meus figurinos teatrais, sendo duas de cabelo natural e cinco sintéticas, além de um aplique também sintético.

Eu também colaborei entrevistando os apoiadores para o programa TV Tudo Web e fiz uma pequena explanação sobre a importância da nutrição no combate ao câncer.

 

 

Anna Lou Olivier e Debora Pieretti (Amor em Mechas)

A cobertura do evento foi feita pela TV Tudo Web de Darci Martins (eu fiz, voluntariamente, as entrevistas) e pelo Programa Quality by Mara Cedro TV Aberta.

 

Mara Cedro (Quality) e Darci Martins (TV Tudo Web)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anna Lou Olivier e Darci Martins

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anna Lou  Olivier, doou perucas e realizou entrevistas para Darci Martins. Uma profissional com experiências em diversas áreas, reconhecida internacionalmente. Palestrante na Faculdade de Harvard. Em breve estará fora do Brasil, ministrante palestras em outros continentes. Grata pela sua colaboração no Evento :  Um Olhar Rosa- Mansão Hasbaya.
Darci Martins TV Tudo Web – www.tvtudoweb.com.br

Assista algumas das entrevistas que realizei,como voluntária, durante o evento:  


 

 

 

 

Prêmio Magnífico Nordeste by Zildetti Montiel

31 de outubro de 2018 Deixe um comentário

Com muito glamour,  aconteceu no dia 24 de outubro de 2018, o “Prêmio Magnífico Nordeste” que homenageou os melhores do ano em diversas categorias culturais e empresariais, com destaques nas artes plásticas, cênicas, profissionais liberais, comerciais e industriais.

Este prêmio foi idealizado em 1987 pela Jornalista e publicitária Zildetti Montiel, com o objetivo de reconhecimento público aos maiores destaques de segmentos profissionais do ano. Zildetti sempre frisa que os talentos e boas ações devem ser reconhecidos em vida. Por isso, ela e sua equipe não medem esforços para, todos os anos, indicar e premiar os melhores em suas áreas.

O Prêmio Magnifico aconteceu por muitos anos em São Paulo Capital e, em algumas edições em Cruzeiros tão magníficos quanto o próprio Prêmio. Atualmente, Zildetti reside no Nordeste (Fortaleza-Ce) e continua fazendo acontecer este importante evento, agora na região nordeste.

Eu fui homenageada em diversas edições tanto em terra quanto no cruzeiro de 2010/2011.  Este ano, 2018, também tive a honra de ser uma das homenageadas, porém, pelos rumos que a política tomou em nosso país, eu não pude me deslocar para receber pessoalmente a homenagem. Eu havia decidido que, enquanto a eleição não se definisse, eu não viajaria nem assumiria nenhum compromisso (palestras, premiações, lançamentos).

Mas agradeço publicamente a indicação e homenagem. E sinto-me muito feliz por, mais uma vez, ter sido lembrada para esta importante premiação. Espero, numa próxima oportunidade, poder comparecer a este que já se tornou um patrimônio cultural brasileiro. E que só foi e é possível graças ao esforço e competência de Zildetti Montiel.

Em entrevista ao TV Tudo, Anna Lou fala sobre Bolsonaro,Eleições, Ditadura, Mídia e muito mais

5 de outubro de 2018 1 comentário

Neste momento delicado vivido por todos os brasileiros em busca de um caminho renovado, uma nova esperança para o Brasil, todos se voltam para a política. Em vista disso, Anna Lou Olivier compareceu ao Programa TV Tudo, comandado por Darci Martins, e abordou muitos temas importantes. Alguns deles foram Eleições 2018, Bolsonaro e o atentado sofrido por ele, a insegurança pública, regime militar, os muitos fatos que não são divulgados pela mídia, a campanha contra Bolsonaro, o que está por trás disso. E, entre outros temas, Anna Lou falou de seu pioneirismo na TV brasileira,na música mundial, sua música censurada e muito mais. Vale a pena assistir aos vídeos a seguir.

 

1º Bloco: Anna Lou fala um pouco sobre sua experiência em política, em apuração de votos, em Pesquisa Científica, palestras internacionais e,entre outros temas, o atentado sofrido pelo candidato Jair Messias Bolsonaro. Confira.

2 Bloco: Anna Lou aborda militarismo, voto útil, analisa a situação política atual, como Bolsonaro tem sido entendido por uma grande parcela da população e rejeitado por alguns. Este e outros temas neste bloco. Confira!

Em breve, o terceiro bloco aqui.

 

Leia também:

A eleição do “ele sim”, “ele não”, clique aqui 

Um homem sem máscara lutando contra o sistema, clique aqui

A criança subversiva, clique aqui

URGENTE!!! Joice Hasselmann denuncia esquema milionário para denegrir a imagem de Bolsonaro

2 de outubro de 2018 Deixe um comentário

Foto: Divulgação (captada na Internet)

URGENTE!!!  A Jornalista e candidata a Deputada  Joice Hasselmann denuncia esquema milionário para denegrir a imagem de Jair #Bolsonaro e prejudicá-lo nas eleições.

Em vídeos postados em seu canal do YouTube Joice relata tudo, ou quase tudo, que descobriu sobre as negociações que envolveram 600 milhões de reais para que certo veículo de comunicação publicasse notícias de forma a denegrir a imagem de Jair Bolsonaro e fazer cair sua popularidade.
Acesse o video neste link:

A criança subversiva (a verdade sobre a Ditadura no Brasil)

24 de setembro de 2018 1 comentário

Antes de imaginar que Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) seja mais uma esquerdista se fazendo de vítima da Ditadura, leia este pequeno artigo, reflita e tire suas próprias conclusões.

Anna Lou aos 3 anos dançando e cantando “Dança do Saci-Pererê” (Bossa-Nova)

A Anna sempre foi precoce, mal sabia andar, já se agarrava aos móveis e dançava ao ouvir qualquer música. Aos dois anos e meio, ela foi levada pela mãe ao auditório da TV Record, para assistir ao seu pai, um militar da reserva (acidentou-se em serviço e foi para a reserva), que contava piadas e fazia brincadeiras no palco com as crianças no intervalo do Programa Ginkana Kibon. Em certo momento, um famoso cantor (não recordamos o nome) entrou no palco e começou a cantar. A Anna não teve dúvidas, subiu na poltrona da plateia onde estava e começou a dançar. Logo, o cameraman (cinegrafista) a avistou e passou a focalizá-la. Não deu outra, a Anna roubou a cena, foi muito aplaudida e chamada ao palco pelo Durval de Souza, que era o apresentador do programa. Dançando no palco, chamou a atenção de dois professores, o de canto Irineu Gonzaga e a de dança Aparecida Guarnieri. Os dois se ofereceram para treinar Anna e, em apenas uma semana, ela já estava se apresentando profissionalmente, como bailarina. Três meses depois, Anna, com apenas dois anos e nove meses, entrou num estúdio profissional para gravar seu primeiro vinil que, naquela época demorava muito a ser produzido. Assim, só foi lançado um mês após Anna completar três anos de idade. Mesmo assim, Anna bateu o recorde mundial da música, que era detido por Rita Pavone que havia gravado com cinco anos na Itália.

 

Anna Lou recebendo seu primeiro troféu, com apenas 4 anos de idade, das mãos de Canarinho (TV Excelsior) Na foto estão também Irineu Gonzaga, Lourdes Rocha, Fadinha e alguns membros da Banda de Anna Lou.

Pouco tempo depois do lançamento do seu primeiro vinil, que já disparava nas paradas e abria para Anna as portas de outras emissoras como a TV Excelsior, Anna foi impedida de cantar a música “Sonho de criança”, sua letra foi considerada inadequada para exibição pública pois falava de liberdade numa época de repressão. Em vista disso, passou a cantar somente a valsinha “Mês de maio” em homenagem ao dia das mães. Na sequência, antecipou o lançamento de seu segundo disco com as músicas “Dança do Saci-Pererê”, (bossa-nova) e “Casca de banana” (marchinha de carnaval). Anna, em sua inocência, não entendia a proibição. E pior ficou porque passou a ser perseguida não por ela mesma mas por três motivos. Primeiro, a TV Excelsior, na qual Anna já era tratada como estrela, tinha um posicionamento desafiador diante do regime militar e todos na emissora eram constantemente perseguidos. Segundo, por conta do Professor Irineu Gonzaga ser um militante esquerdista. Terceiro, a TV foi implantada no Brasil e em outros países com um propósito específico que foge ao simples posicionamento do regime militar. Continue lendo e assista aos videos para entender melhor como isso ocorreu (e ocorre até hoje).

Patrícia Ayres e Dionísio Azevedo em cena de “A Pequena órfã”

A gota d’água veio quando Anna, aos seis anos e meio, recebeu convite para gravar toda a trilha sonora da novela “A pequena órfã”, toda criada por Irineu Gonzaga. Foram vários meses de ensaios até que Anna entrou no estúdio para seu terceiro vinil. Desta vez um LP. Tudo concluído no estúdio, o vinil ficou pronto e foi gravada uma linda abertura em que Anna aparecia dançando e cantando a música tema “A pequena órfã” intercalando com cenas da atriz mirim Patrícia Ayres, que protagonizava a trama, A abertura arrancou lágrimas no estúdio da gravadora Califórnia (ou Continental, precisamos apurar melhor este dado) ao ser exibida pela primeira vez apenas para os envolvidos na gravação. E começou uma contagem regressiva para a estreia da novela que seria o auge de audiência e prestígio da emissora. A menos de um mês da estreia, no entanto, veio a notícia que calou a todos. Toda a trilha sonora tinha sido vetada. Não havia tempo para gravar outra versão. Assim, em 26 de agosto de 1968, a novela “A pequena órfã” estreou sem nenhuma abertura e sem trilha sonora. Tudo foi tão abafado que nem quem trabalhava no estúdio ficou sabendo que a novela teria uma trilha sonora. Para todos ficou a ideia de que a novela não tinha trilha sonora. Mais tarde foi feita uma música por Noite Ilustrada que passou a ser cantada por ele mesmo em algumas cenas em que participou. (Posteriormente ele participou de filme com o mesmo título e enredo em 1973). Mas o encanto estava quebrado. Anna era só tristeza, o professor Irineu afastou-se da TV e nunca mais se ouviu falar dele. E a pequena Patrícia Ayres foi afastada no meio da trama por estar estafada e até traumatizada, como ela revelou anos mais tarde, pelo excesso de trabalho e tensão nas gravações. A “música” que marcou o público na época foi uma espécie de cantiga de ninar que dizia: “mandei fazer um barquinho de papel, de papelão, pra levar meu bem comigo, pra dentro do coração.” . Parece piada, mas tantos meses de ensaios e empenho na produção de uma magnífica trilha sonora, foram mostrados ao público como apenas uma música de ninar. Apesar da proibição do pai de Anna, ela continuou sendo levada pela mãe a diversos programas de TV (Excelsior, Bandeirantes, Record, Tupi) até que, em 1969, Anna foi afastada em definitivo da TV, encerrando a primeira fase de sua carreira artística. Em 1971 a Rede Globo reprisou esta novela criando uma abertura em que aparece Glória Pires e outras crianças e foi esta a versão considerada original. E diante de tantos “incêndios” nos estúdios de TV, seguimos sem poder questionar isso. Estes incêndios também precisariam ser melhor investigados,visto que muito deste material reapareceu na Globo. Foram “queimados” somente os materiais que incomodavam, de certa forma, o sistema que foi implantado. E que fique bem frisado que estamos citando o sistema implantado pela televisão, não pelo regime militar, o sistema que afastou Anna e outras crianças talentosas da época foi o da TELEVISÃO.  Continue lendo e veja os vídeos…

 

 

A manchete cita: “Blindados ocupam a Avenida Presidente Vargas em abril de 1968, durante a ditadura militar.” Porém, a foto mais parece uma pose montada. Note bem!

Por sermos comprometidos com a verdade, precisamos frisar que não somos contra os militares, como pessoas cultas que somos, entendemos que a ditadura militar foi articulada por diversos segmentos como clero, elite, empresas estrangeiras que se instalavam no país e os militares foram os que “puseram a cara a tapa”. Até porque, os militares não conseguiriam agir sozinhos, está bem entendido que o “regime” foi imposto por um número muito maior de envolvidos do que fizeram parecer. E a intervenção ocorreu para evitar um mal maior. Era o que havia para fazer naquele momento.

 

 

 

Shirley com 11 anos no filme “The Little Princess” (1939).

 

Também entendemos que havia um grande interesse dos Estados Unidos (hoje envolve o império Hollywoodiano) em abafar os feitos de Anna e de outras crianças precoces, pois eles tinham lá a estrela mirim Shirley Temple, que iniciou carreira aos seis anos, embora se encontre algumas citações de que tenha sido aos cinco anos, vivemos aquela época, lembramos bem. Ela fez suas primeiras apresentações aos seis anos. Enfim, os Estados Unidos tinha interesse em mostrar Shirley ao mundo como única. Não admitiam que houvesse outra(s) criança(s) tão ou mais talentosa(s) em outros países e se iniciando com menor idade do que Shirley. Inclusive a biografia pública de Rita Pavone cita que ela começou em 1962, já com 17 anos. Cremos que foram apagadas também suas gravações aos cinco anos de idade. (Continuamos buscando informações, se encontrarmos arquivos de Anna, Rita e outras crianças da época, difícil mas não impossível, publicaremos aqui em primeira mão.)  Fazemos questão de revelar estes fatos, o mundo precisa saber da verdade. Fazemos questão de frisar que não somos teleguiados pela mídia, não acreditamos em tudo que se publica ou se divulga e entendemos que a perseguição sofrida por Anna foi muito além de uma aluna de esquerdista sendo perseguida pela Ditadura. A perseguição foi mais artística do que política. Fique bem entendido!!!

 

Antes de mostrarmos algumas fotos e vídeos originais e algumas adulteradas, citamos a pergunta que não quer calar. Se, mesmo com tanta perseguição política e artística e tendo sofrido diversos acidentes, alguns bem graves, ainda assim,  Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) se destacou e ainda se destaca tanto em Artes, Saúde e Educação, além de outras áreas, imaginemos se não houvesse nenhum impedimento… Do que essa mulher seria capaz???

Conheça a primeira música censurada durante a Ditadura. Assista ao vídeo:

Este vídeo mostra a real abertura de “A pequena órfã”, que foi ao ar depois que a novela já tinha estreado, só para não ficar sem nenhuma abertura. Na verdade, estas cenas eram parte de um clip feito com Anna Lou Olivier dançando e cantando intercalando cenas com a protagonista patrícia. Ao ser censurada, a novela estreou sem abertura e, posteriormente, as cenas com Patrícia foram liberadas, assim foi ao ar a abertura pela metade.

Assista agora o vídeo adulterado que foi supostamente recuperado pela Globo e exibido pelo Vídeo Show.

Neste vídeo Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) resume e comenta este assunto.

Por curiosidade, publicamos aqui o elenco original de “A pequena órfã” 1968.

PATRÍCIA AIRES – Toquinho (Maria Clara)
MARIZE NEY – Toquinho (Maria Clara)
DIONÍSIO AZEVEDO – Velho Gui
RIVA NIMITZ – Elza
YARA AMARAL
ANTÔNIO GHIGONETTO
EDUARDO ABBAS – Padilha
JOÃO JOSÉ POMPEO – Nicolau
RACHEL MARTINS – Amazília
RUTHINÉIA DE MORAES
NÁDIA LIPPI
ROBERTO MAYA – Jerônimo
NESTOR DE MONTEMAR
J. FRANÇA – Gasolina
LURDINHA FÉLIX – Madalena
ARNALDO WEISS
ANA MARIA BLOTA
MÁRCIO A. TOLEDO
TONY VIEIRA
MÍRIAM MAIO – Vânia
e
LUTERO LUIZ – Juiz

Fonte: Teledrama: http://teledramaturgia.com.br/a-pequena-orfa/

 

Leia também:  A eleição do “ele sim” “ele não”, clique aqui

Glorinha Cohen publica sobre palestras internacionais de Anna Lou Olivier

6 de setembro de 2018 Deixe um comentário

Glorinha Cohen publica sobre palestras internacionais de Anna Lou Olivier

Em sua Newsletter de 06 de Setembro de 2018, Glorinha Cohen publicou nota sobre as palestras internacionais de Anna Lou Olivier. A publicação pode ser lida na coluna “Em Evidência – Gente que Acontece… e faz acontecer!

Agradecemos pela publicação e convidamos nossos leitores a acessarem a newsletter. Leiam sobre Anna Lou Olivier e outros destaques da semana, clicando aqui.

 

Leiam sobre outras noticias importantes, clicando aqui.

%d blogueiros gostam disto: