O dia 21 de março de 2019 foi marcado por diversos acontecimentos importantes. Entre eles, as prisões do ex presidente Michel Temer em São Paulo e do de Moreira Franco em São Paulo. Moreira passou por diversos cargos importantes, sendo os mais recentes: 29º Ministro de Minas e Energia (6/4/2018 a 31/12/2018), Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência (3/2/2017 a 6/4/2018), Secretário do Programa de Parcerias e Investimentos (12/6/2016 a 3/2/2017) e há detalhes curiosos em sua prisão.

Michel Temer e Moreira Franco. Foto: Internet

Um passageiro, não identificado, viajava ao lado de Moreira Franco sem saber. Este passageiro recebeu uma mensagem via WhatsApp afirmando que Temer e Franco seriam presos. O passageiro comentou com o senhor que estava ao seu lado e, imediatamente, o senhor começou a se desesperar, querendo chegar logo ao destino. Foi quando o passageiro identificou Moreira Franco. E fez tudo para dificultar sua saída do avião, inclusive o passageiro colocou-se em frente ao carro de cor marrom que aguardava Moreira Franco e no qual ele entrou apressadamente. Depois de tudo isso, o motorista do veículo conseguiu avançar o carro livrando-se momentaneamente do passageiro. Este, porém, não se deu por vencido, fotografou o veículo e chamou a polícia, que se comunicou entre si avisando da fuga de Moreira Franco. Logo a polícia chegou ao aeroporto e acabou por utilizar também um táxi para perseguir o carro que conduzia Moreira Franco. Havia uma blitz nas imediações e foi fácil “cercar” o carro que conduzia Moreira Franco e encaminhá-lo à prisão.

Temer, por sua vez, teve uma prisão mais tranquila e sem cenas hollywoodianas. Seu carro foi abordado por policiais. E, apesar de fazer cara de descontentamento (aliás, quem é que fica contente por ser preso?) diante da situação, Temer foi preso sem resistência.

Segundo a Coluna do Fraga, Portal R7, a ordem de prisão de Moreira Franco partiu do juiz federal Marcelo Bretas, que comanda a Lava Jato no Rio de Janeiro. A base para o pedido de prisão teria sido a delação do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, que teria envolvido o nome do peemedebista em esquemas de fraudes na Caixa Econômica Federal, realizadas enquanto ele era vice-presidente da instituição financeira.

Temer responde a nove inquéritos e as acusaçãos vão desde ter avalizado a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, do MDB, que está preso, e do operador Lúcio Funaro até por organização criminosa e obstrução de justiça no chamado “quadrilhão do MDB”.

Assista ao momento da interceptação do carro em que Moreira Guimarães estava. Este vídeo foi recebido via WhatsApp.

Saiba mais:

Notícia Portal R7. Clique aqui