Há uma piada, contada pelos próprios judeus, que diz que os judeus comemoram Purim logo após o carnaval porque as fantasias são mais baratas. Porém, muito além da piada, Purim é uma data muito séria. A Festa de Purim comemora a salvação do povo judeu da trama de Haman que pretendia matar e aniquilar, num único dia, todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres. Um povo oprimido que teve permissão para se defender e venceu. Neste pequeno artigo eu mostro um pouco desta importante data para os judeus..

O resumo da história é o seguinte:

Os judeus eram súditos no império persa (que abrangia mais de 127 países da Índia à Etiopia). Ao ser desrespeitado por sua jovem esposa, a Rainha Vashti que se recusou a cumprir suas ordens, o Rei Achashverosh mandou executá-la. Em seguida, ele organizou um desfile de beleza para encontrar uma nova rainha. Vale lembrar que entre a morte da antiga Rainha e a escolha de Esther, passaram-se mais de doze meses, sendo que por seis meses as candidatas eram tratadas com óleo de mirra e mais seis meses de tratamento com cosméticos da época e perfumes. Só depois deste período eram apresentadas ao Rei. Ao encontrar-se com Hadassah, o Rei se encantou com a beleza dela e ela foi escolhida para ser sua nova rainha. Porém, Hadassah recusou-se a revelar sua nacionalidade e apresentou-se como Esther.

Purim Foto Dreamstime

Na sequência, Haman, que era antissemita, foi nomeado primeiro-ministro do império. E ordenou que todos se curvassem diante dele. Mordechai, que era líder dos judeus, primo e tutor de Esther, se recusou a se curvar diante de qualquer um, só se curvava diante do Eterno. Enlouquecido pela afronta, Haman convenceu o rei a emitir um decreto ordenando o extermínio de todos os judeus, isso deveria ocorrem em 13 de Adar.

Algumas publicações afirmam que Esther pediu a Mordechai para coordenar um jejum outras publicações citam que foi Esther quem coordenou, sejam que for o coordenador, é consenso que os judeus jejuaram por três dias sem comer nem beber nada pedindo pela misericódia do Eterno para seu povo. Ao final dos três dias, contrariando as ordens do palácio, Esther apresentou-se diante do Rei (sem ser convocada) e pediu ao rei e a Haman que fossem a um banquete oferecido por ela. Invés de fazer seu pedido, Esther convidou o rei e Haman para um outro banquete no dia seguinte. Nesta noite, entre um e outro banquete, o rei teve insônia e se lembrou que Mordechai havia salvado sua vida alertando-o sobre uma emboscada. O rei então ordenou que Hamam prestasse honrarias a Mordechai, diante de todo o povo, o que deixou Haman mais enfurecido contra os judeus. Haman mandou construir uma forca, onde pretendia enforcar Mordechai. Durante o banquete, Esther revelou ao rei sua identidade judaica. Pediu ao rei que poupasse sua vida e a vida de seu povo. Haman foi enforcado, na forca que construíra para Mordechai. Este, por sua vez, foi nomeado primeiro-ministro no lugar de Haman. E foi emitido um novo decreto que concedia aos judeus o direito de se defenderem contra seus inimigos. Isso foi essencial para a vitória dos judeus, pois antes eles não tinham direito de se defender. Em 13 de Adar os judeus se mobilizaram e mataram muitos dos seus inimigos. Em 14 de Adar eles descansaram e celebraram.

Até hoje, se comemora Purim… o dia em que o povo oprimido teve direito de se defender e venceu! 

Saiba mais sobre cultura judaica, artigos cabalísticos e como lidar melhor com a vida. Leia Luz do Eterno Artigos Cabalísticos, clique aqui

Atribui-se a Mark Twain a frase que cita comédia sendo tragédia acrescida de tempo. Isso se adapta ao que é Purim hoje. No momento em que aconteceu um complô genocida, com o antissemitismo atingindo os mais altos graus de poder. Isso foi bem trágico. Mas ao longo dos séculos, o tempo curou a maioria das feridas e esta história se tornou a fonte de mais risos e paródias do que qualquer outra na história judaica. Se a comédia é a tragédia mais o tempo, Purim é uma prova disso. Em Purim a chamada é “Hafoch ba!” “Reverter isso!” Em Purim, a norma é o anormal. Em Purim, aprendemos a enfrentar os obstáculos, agindo como Esther. Tomando as rédeas das situações que, mesmo estando invertidas ou contrárias a nós, não precisam ser traumáticas e podem ser resolvidas com disciplina, bom senso e equilíbrio. Chag Purim Sameach! Feliz Purim