Em continuidade ao conjunto de manobras realizadas pela esquerda, Fabrício Queiroz, finalmente se manifestou em depoimento, relatou seus procedimentos considerados ilegais e inocentou Flávio Bolsonaro, que desconhecia totalmente as ações de Queiroz. No entanto, esta “enroladinha” para inocentar Flávio deixou o caminho livre e proporcionou a eleição sem concorrência do PSL de André Ceciliano que, desde julho de 2017 vinha presidindo interinamente a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e em 2 de fevereiro de 2019 foi eleito presidente com 49 votos dos colegas parlamentares. A informação que se tem é que o outro candidato à Presidência da ALERJ é do PSC e estaria também envolvido nos desvios de verba. Sendo assim, Ceciliano teria conquistado a confiança dos 36 novos deputados e, por isso, foi eleito. Mas, convenhamos, se o outro candidato também está envolvido, assim como Ceciliano, nos desvios de verbas, esta eleição deveria ter um candidato não envolvido para que não se tivesse que escolher “o menos pior” ou o mais articulado. Concordam?

É preciso frisar que, segundo o Coaf, quatro funcionários de Ceciliano movimentaram em contas bancárias R$ 49,31 milhões, o maior valor na Alerj. Só a assessora Elisângela Barbieri movimentou R$ 26.510.942,00, entre 2011 e 2017 em uma conta do Banco Itaú, em Paracambi. Elisângela fez 138 saques, em dinheiro vivo, de R$ 980 mil.  Só  em 2016, ano eleitoral, fez transações de R$ 2 milhões. Repare que um só saque de Elisângela, é quase o valor total das movimentações de Queiroz.

Fabrício Queiroz -Foto: Internet

Todas estas ações, assim como outras ações suspeitas de outros assessores estão sendo investigadas. Porém, a mídia nada publicou sobre isso, os esquerdistas nada comentaram. Todos atacaram apenas o Queiroz que foi o que menos movimentou em sua conta (cerca de hum milhão e duzentos mil reais entre 2016 e 2017) e, segundo ele mesmo confessou, de forma escondida de Flávio Bolsonaro. Da mídia e da esquerda já se esperava este tipo de atitude, mas e os que se dizem eleitores de Bolsonaro que não deram sequer um voto de confiança ao filho dele, Flavio? Com o discurso de “não ter político de estimação”, ajudaram a acusar Flávio sem sequer a certeza de seu delito. Agora com que cara vão ficar assistindo a “posse” de Ceciliano, como “presidente” na ALERJ? Já não era suficiente o título de campeão de movimentações atípicas tão malhadas pela Imprensa podre e pela esquerda em direção ao Queiroz?

 

E quanto ao Queiroz, a dúvida que fica é: Por que esperou até o dia da eleição de Ceciliano para inocentar Flávio? Tudo bem que Fabrício Queiroz está enfrentando um câncer e em fase de tratamento intensivo, mas ele foi entrevistado anteriormente, ele teve outras oportunidades para falar. Por que não revelou tudo isso a tempo? Inocentar Flavio faria uma grande diferença nesta eleição. Penso que ele Queiroz deve ser investigado com mais rigor no sentido de se apurar se trabalha, de fato, a favor, de Flávio ou se esta “enroladinha” foi estratégica para facilitar a eleição de Ceciliano. É preciso frisar que o PSL tem maior bancada, com 12 dos 70 deputados estaduais da Alerj,  precisaria de 13 assinaturas para formalizar uma candidatura própria que disputaria com André Ceciliano (PT) a presidência da ALERJ. Para vencer a disputa, seriam necessários 36 votos. Porém,  Segundo matéria “notícias do UOL“, o partido perdeu o prazo para anunciar seu candidato ou quem seria apoiado. Deputados eleitos pelo PSL como Filippe Poubell e Rodrigo Amorim se ofereceram como voluntários para encabeçar uma chapa anti-esquerdista. Mas isso não se concretizou. O resultado foi a eleição de Ceciliano APENAS por não ter concorrentes à altura.

Quanto ao Ceciliano, penso que cabe uma manifestação popular, já que foi eleito sem concorrentes e obviamente, sem aprovação da opinião pública. E em meio a esta conturbada sequência de fatos ou não fatos que se desencadeou a partir da demora de Queiroz em depor ao MP.  Se você tem interesse em participar deste movimento, deixe seu comentário, clicando aqui

Para refletir:  Numa comparação entre Flávio Bolsonaro e o petista André Ceciliano nota-se que, o mesmo relatório do Coaf que mostrou a movimentação de 1,2 milhão de reais do assessor de Flavio, Fabrício Queiroz,  mostrou também a movimentação de  49,3 milhões de reais dos assessores de Ceciliano. Por que a Imprensa só bateu na tecla “Queiroz?”.  E a pergunta principal: Por que você, pessoa de bem, se deixou levar por esta discussão?  Ou o povo acorda de verdade ou a mídia e a esquerda vão engolir o novo governo e quem pagará caro, como sempre, será o povo. 

Saiba mais:

Assista ao vídeo Rede TV. Não há opção de incorporação ou compartilhamento de vídeo, só há compartilhamento de link, por isso, para assistir ao vídeo, deve-se clicar nos links a seguir:

https://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/redetvnews/videos/politica/fabricio-queiroz-nega-ter-se-apropriado-de-verba-de-servidores

Este outro vídeo mostra reportagem da Band. Também  é necessário clicar no link para assistir ao vídeo: https://tv.uol/17j5J

Apesar de ser um vídeo da Globo e enrolarem até o final para esclarecer que Fabrício Queiroz inocentou Flávio, é um registro. Assistam:

http://www.alerj.rj.gov.br/Deputados/PerfilDeputado/338?AspxAutoDetectCookieSupport=1

https://odia.ig.com.br/colunas/informe-do-dia/2018/12/5603684-assessora-de-andre-ceciliano-movimentou-r-26-5-milhoes.html

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/01/20/caso-flavio-bolsonaro-enfraquece-psl-da-disputa-pelo-comando-da-alerj.htm

Conheça os livros impressos e Digitais de Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) Clique aqui