Anna Lou Olivier homenageada como Dama Comendadora em São Paulo

Mais uma vez Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) tem reconhecidos seus talentos e atuações em prol da sociedade. Recebeu em 31/01/2019 mais uma homenagem como Dama Comendadora – Nobres Damas de São Paulo, pela Ordem dos Cavaleiros de São Paulo e ABRASCI Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura. Agradecendo aos organizadores do evento, publicamos este registro e divulgação.

O evento, organizado pelo Presidente da Abrasci, Michel Chelala, aconteceu na Mansão Hasbaya, numa noite muito animada que se iniciou com um coquetel. Em seguida, a abertura feita por Sandrinha Sargentelli e a composição da seleta mesa homenageadora com nomes consagrados do meio artístico e empresarial. Presença também do Rabino Paulo Pinchas Blinder que não só integrou a mesa homenageadora como proferiu a Bênção dos homenageados. Talentos dos mais diversos segmentos desfilaram em trajes de gala e passaram pelo palco recebendo esta significativa homenagem. Renomados cantores e músicos, como Klebio Jakson, Willie de Oliveira (vocalista do Rádio Táxi) e Robson Miguel, apresentaram suas músicas transformando o evento num verdadeiro show de talentos e diversão.

Foi neste ambiente festivo e luxuoso que Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) recebeu homenagem no grau Dama Comendadora (Nobres Damas de São Paulo) com certificado de Honra ao Mérito que lhe foi outorgado por sua brilhante atuação não só em pesquisas avançadas em Dislexia e outros Distúrbios de Aprendizagem, especialmente a Dislexia Adquirida, da qual é detectora, pesquisas em Multiterapia, da qual é precursora e seus doze livros didáticos que muito orientam pais, professores e profissionais de Saúde/Educação mas também sua grande colaboração nas Artes, especialmente com suas peças teatrais, num total de dezoito títulos, alguns já encenados em diversas capitais do Brasil e em Portugal, como: “Os Alienados” escrita em 1998, encenada em Portugal com o título “Os Alucinados” e “Três Contos que eu vou te contar!” (ou A Cinderela que não era Bela porque era Branca demais) escrita em 1982 e encenada pela primeira vez em 1985. Ambas as peças encontram-se em cartaz de forma praticamente contínua desde sua criação, sendo periodicamente encenadas por grupos amadores e profissionais em todo o Brasil.

Parte da mesa homenageadora com o Presidente Michel Chelala ocupando o segundo lugar da esquerda para a direita

Além de toda esta colaboração à sociedade, Anna Lou Olivier é adepta de alimentação naturalista (não consome nenhum produto de origem animal) e pacifista em prol das causas socioambiental e animal, está sempre envolvida em atividades filantrópicas, auxiliando direta ou indiretamente a população em geral, mantém um portal variado e extremamente informativo, com diversos subsites onde é possível ler artigos e boas informações sobre suas diversas áreas de atuação.

Anna é pioneira da TV brasileira e da Música mundial, foi a primeira criança a gravar um vinil com apenas dois anos e nove meses e lançá-lo aos três anos. Na adolescência e juventude passou por alguns acidentes graves que a obrigaram a estudar e pesquisar sua própria cura. Desta forma tornou-se detectora da Dislexia Adquirida e criadora da Multiterapia. E, atualmente, é palestrante nacional e internacional, ensinando sua técnica em Universidades, Escolas e Congressos. Os mais recentes internacionais foram em Dublin – Irlanda, Vancouver – Canadá e Boston – USA, onde apresentou dois temas no JBMCCenter at Harvard Medical School.

Anna Lou já recebeu cinquenta e um troféus/Diplomas de Honra nacionais e quatro internacionais, de 1965 (com apenas quatro anos de idade) até 2014, ocasião em que ela decidiu não mais receber troféus por não ter mais espaço para armazená-los. Em 2017, ela doou parte do seu acervo ao Museu PróTV, onde ela consta como pioneira. Ainda citando premiações e homenagens, em reconhecimento a sua valorosa atuação em diversas áreas, Anna Lou Olivier (Lou de Olivier) integra as páginas 279 e 280 do livro Brasil de todos os povos/São Paulo, sua Historia, seus monumentos – Destaques e Personalidades – do ano de 2009.

Também é citada nas páginas 187, 405 e 670 da Enciclopédia de Literatura Brasileira – Volume I Organizado por Afrânio Coutinho e José Galante Sousa – Global Editora – RJ – Brasil – Fundação Biblioteca Nacional – Academia Brasileira de Letras-2001 (Original de Universidade de Michigan).

Citada também nas páginas 532-533 do Dicionário de Mulheres – Volume II -2011-(da Historiadora Hilda Flores) Anna Lou também consta do livro histórico Brasil de A a Z idealizado em 2009 e lançado em 2012 pelo Instituto Biográfico Brasileiro e Academia Brasileira de Artes Cultura e Historia.

Entre outras citações e premiações.

Frisamos que as premiações aqui citadas não envolvem dinheiro. São, em sua maioria, troféus e/ou diplomas e certificados registrando a ampla e árdua atuação de Anna Lou Olivier em prol do bem-estar da sociedade como um todo e do desenvolvimento Cultural e Social do país.

Saiba mais sobre Anna Lou Olivier e sua grande obra acessando o portal:

https://www.loudeolivier.com.br em Português e https://www.loudeolivier.com em Inglês

Doações de parte de seu acervo ao Museu da TV (PróTV), clique aqui

Lou no museu da TV: http://www.museudatv.com.br/biografia/lou-de-olivier/

Lou na Wikipédia (Atenção, apenas indicamos os links wikipedia, não somos nós que os editamos e não nos responsabilizamos por informações extraoficiais contidas nesta enciclopédia virtual): 

Em Espanhol: https://es.wikipedia.org/wiki/Lou_Olivier

Em Português: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lou_de_Olivier