Enquanto Bolsonaro se recupera da terceira cirurgia e a mídia faz tudo para mostrar o vice Mourão como um “traíra”, um documentário intitulado “A facada no mito”, postado em um canal do YouTube que se diz “nem de direita nem de esquerda” faz uma série de acusações sugerindo que Bolsonaro teria forjado o ataque para esconder um câncer. Outros canais estão replicando e há quem anuncie que este mesmo vídeo será amplamente divulgado pela Globo que, por sinal, parece ter produzido o tal vídeo. Em meio a estes dois pontos, o que, de fato, devemos analisar? Neste artigo eu mostro a verdade sobre Bolsonaro.

O documentário é bem detalhista e serve como uma prova de que Adélio não agiu sozinho. Mas isso, já se sabe há muito tempo. Já se tem, inclusive, diversas acusações que citam nomes dos mandantes e cúmplices. Portanto, é desnecessário mostrar isso, exceto pelo detalhe de mostrar alguns dos seguranças de Bolsonaro que parecem ter facilitado a ação de Adélio. Sim, neste ponto, o documentário é excelente pois mostra, de forma clara, que parece ter havido colaboração dos seguranças neste atentado. Isso também já estava entendido, afinal, o desenrolar dos fatos mostrou que houve mesmo uma certa facilitação do ato de ataque a Bolsonaro. Embora o atacante tenha tentado por duas vezes e só na segunda vez tenha conseguido seu intento, parece ter mesmo sido facilitado. Porém o documentário mostra o rosto e a ação de cada um dos que, possivelmente, colaboraram no atentado. Isso é muito importante. Mas a eficiência do documentário para por ai. E, antes de enumerar todos os pontos, é preciso comentar que os seguranças, ao “protegerem” Adélio, podem ter feito isso para preservá-lo e, depois, interrogá-lo. Caso ele fosse linchado pelos simpatizantes de Bolsonaro, o crime ficaria sem solução. É preciso analisar isso, antes de acusar os seguranças. 

                     Bolsonaro esfaqueado. Sequência de reações que comprovam o atentado

As comprovações utilizadas para demonstrar atentados forjados desde a época do Regime Militar, regime este, segundo afirma o referido documentário, apoiado por Bolsonaro, são comprovações de revista Veja, Globo e outros veículos que já demonstraram não ter nenhuma intenção de divulgar a verdade e sim divulgar o que é bem pago ou conveniente ao Sistema. Portanto, a partir do momento em que se apresentam “provas” fundamentadas na considerada “grande mídia”, já se perde a credibilidade.

Vale lembrar que, na ocasião do atentado, diversos peritos analisaram os vídeos e fotos e concluíram que seria impossível forjá-los. Foram analisadas expressões faciais, curvatura do corpo e outros detalhes que atestaram a veracidade do atentado. Inclusive em um dos vídeos (são vários vídeos circulando na Internet) nota-se que Bolsonaro ficou extremamente corado logo após o atentado, com expressão de muita dor. Ao final do vídeo nota-se que ele está deitado no chão, muito pálido e com lábios arroxeados. Também é nítido hematoma na região atingida. Impossível fingir tudo isso, precisaria de efeitos de maquiagem e um bom tempo para mudar do extremamente corado para o pálido com lábios arroxeados. E ainda aparecer um hematoma tão grande.

Bolsonaro sendo socorrido. Percebe-se grande hematoma na região abdominal

Outro fator importantíssimo é que este enredo já foi sugerido há tempos e desmentido pela própria criadora, além de ter sido desmentido em sites que desvendam “fakenews” como o e-farsas. Este enredo é “fanfic” significa que é uma história fictícia criada por fãs de determinado assunto. Foi publicada via Twitter pelo perfil @Afffmulher, passou a ser replicada por vários perfis no Twitter e Facebook e logo viralizou. Foi quando o e-farsas desvendou o “mistério” provando que era falso. O post inicial já começava assim: “Antes de mais nada, essa thread não tem nenhum interesse em acusar ninguém de nada. Eu sou apenas uma moça latino-americana que acredita que o ano não é 2018, que Avril Lavigne foi substituída e que o homem não pisou na lua.

ravenna oh na na (@afffmulher) October 16,2018

O post inicial do Facebook também foi desmentido pelo autor, mesmo assim, continuou viralizando, cada um que repassava aumentava um ponto e acabou se criando um enredo tão realístico que foi filmado, ou melhor, as cenas do dia do atentado foram organizadas de tal forma que parece mesmo que Bolsonaro armou todo o cenário apenas para livrar-se de um câncer terminal no trato digestivo. Cita-se fontes como “Veja” e “Rede Globo”, além de uns “recortes” de jornais sem títulos que descrevem que Bolsonaro passou mal por problemas gastrintestinais por duas vezes em 2018. De fato, segundo o site E-farsas, ele teve um desarranjo gastrointestinal em Cascavel, recebeu soro com medicamentos e foi liberado três horas depois. Em março Bolsonaro apareceu em um vídeo usando uma sonda nasogástrica, porque ele estava fazendo um exame chamado pH-metria esofágica, que avalia o refluxo de ácido no estômago para o esôfago (uma prova de diagnóstico em que é medida a acidez do esôfago e medido o tempo em que o esófago está exposto a determinados níveis de acidez, destina-se a diagnosticar problemas de refluxo gastroesofágico e alterações nos mecanismos normais de limpeza do esófago). É geralmente realizada durante 24 horas em regime de ambulatório, sendo introduzida nas narinas uma sonda com um sensor que é ligada a um equipamento de registo portátil. Em resumo, Bolsonaro estava apresentando problemas digestivos como gastrite, má digestão, refluxo. Isso justifica o exame e também a oração que o pastor Adão Santos fez colocando a mão no estômago de Bolsonaro. Durante a oração, a esposa de Bolsonaro, Michele também colocou a mão sobre o estômago dele para auxiliar no pedido de cura. A partir dai surgiu o enredo de que ele estaria com câncer terminal e teria armado toda a encenação da facada para ser operado sem causar suspeitas do câncer.

Pastor orando por Bolsonaro Foto Internet

Raciocinemos. se ele tivesse um câncer terminal, uma cirurgia provavelmente seria inútil e, se quisesse tentar operar, teria que se internar imediatamente para o procedimento e não viajar a Juiz de Fora para encenar todo o enredo e ser operado sem nenhuma preparação anterior. Não desmerecendo a atuação dos médicos da Santa Casa de Juiz de Fora, seria mais vantajoso e seguro Bolsonaro forjar o atentado em São Paulo que dispõe do Albert Einstein e do Sírio-Libanês. Se alguém fosse capaz de armar toda uma encenação dessas, penso que a cirurgia deveria ser no cérebro… Outro detalhe, a facada atingiu o intestino, se antes ele apresentava problemas na região do estômago, que encenação é essa que atinge o intestino?

Outro fator importantíssimo é que Bolsonaro foi atendido na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora – MG. Foi visitado e avaliado por médicos do Sírio-Libanês, Bolsonaro queria ser transferido para o INCOR, mas acabou sendo transferido para o Albert Einstein. Dá para imaginar quantas pessoas precisariam ser “compradas” para sustentar esta farsa? Para começar, todos os médicos, enfermeiros e funcionários da Santa Casa e do Albert Einstein, além dos médicos do Sírio-Libanês que também o avaliaram. E, se ele queira ir para o INCOR, teria que ter subornado todos por lá também. Teria também que subornar os policiais e todos que testemunharam o atentado. Quem, em sã consciência, poderia acreditar que seria possível armar uma farsa tão grande como esta?

De forma impressionante, o vídeo produzido como um “documentário” está tão convincente que está fazendo muita gente acreditar sem questionar todos estes detalhes. E até a doação que Bolsonaro quis fazer para a Santa Casa, não tenho certeza se ele conseguiu, está sendo usada como se fosse para suborno dos médicos.

Foto: Divulgação (captada na Internet)

A afirmação de que Bolsonaro teria saído sem colete de proteção e que teria colaborado com o atentado torna-se fraca por diversos motivos. Primeiro, cita-se que ele tenha feito um sinal de “pare” como se pedisse para deixar o atentado para depois e, na sequência, tenha feito sinal de positivo. Mas, analisando melhor se nota que ele estava acenando para todos e, momentos antes, um homem tropeça e cai em meio a multidão, bem próximo de Bolsonaro, e quase é pisoteado. É bem provável que o sinal que ele (Bolsonaro) fez, uma mistura de “tchau” com “pare”, tenha se referido a pedir mais calma naquele tumulto. E os sinais de positivo e de arminha, quem ainda não sabe que já viraram marcas registradas de Bolsonaro? Ou ele está fazendo sinal de positivo ou de arminha. Portanto, o argumento de que Bolsonaro teria feito sinais participativos do atentado é fraco. Torna-se mais fraco ainda pela grande expressão de dor que Bolsonaro teve no momento da facada. Ele não só contraiu todos os músculos que, em geral, estão envolvidos nesta expressão como ficou extremamente corado. Isso é impossível de ser fingido. Aliás, diversas análises foram feitas por peritos e todos afirmaram que a expressão de Bolsonaro condiz com o ferimento que sofreu.

A “toalhinha branca” que cobriu o local da facada e a ausência de sangue também já foram exaustivamente explicadas por vários médicos. Por exemplo, o gastrocirurgião Marcos Belotto, do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, explicou ao R7 que, neste tipo de ferimento, é normal ocorrer sangramento dentro da barriga e não fora. Mesmo se a perfuração atingir uma veia ou artéria, a hemorragia é interna e só começa a jorrar quando a barriga já está muito cheia de sangue. Quanto a toalhinha, ninguém sai de casa imaginando que levará uma facada, o único objeto que encontraram para cobrir o ferimento foi a toalhinha. E dai?

A questão da faca também dá o que questionar. A faca parece ter sumido, o vídeo mostra que uma mulher pode ter recolhido a faca e sumido com ela. Isso também é um detalhe importante. No vídeo sugere-se que a faca usada seja uma faca dobrável, que teria sido utilizada fechada para fingir o ataque e, na sequência, seria aberta. O vídeo é colocado em câmera lenta e retoma a imagem algumas vezes para mostrar a faca supostamente sendo aberta após o ataque. Mas vendo por outro ângulo e em outros vídeos, percebe-se que a faca usada era grande sim e estava coberta com um papel ou algo assim e foi utilizada com papel, provavelmente, para que ninguém percebesse se tratar de uma faca. Então, a teoria da abertura da faca após o ataque, não procede, afinal, com o papel seria impossível abrir a faca sem rasgá-lo. Outro detalhe, se Bolsonaro quisesse encenar, seria mais fácil arranjar uma faca teatral, também conhecida como punhal mágico. É uma imitação perfeita de um punhal que desaparece dentro do cabo ao tocar alguém, dando a impressão de ter entrado no corpo da pessoa. Se os atores são bons, conseguem até acoplar um saquinho de sangue falso e fazer jorrar sangue. Pronto, ai os incrédulos teriam o tão reclamado sangue. No entanto, segundo o documentário, Bolsonaro utilizou a faca dobrável. As cenas tornam-se um pouco nebulosas, justo no momento em que a facada é dada. Por isso, os leigos se deixam conduzir pelos textos que acompanham o vídeo. Mas quem tem mais experiência em encenação, percebe que foi modificado de alguma forma, ou na suposta abertura da faca ou na faca usada com um papel que é o mais lógico. Ou uma ou outra versão, usar papel numa faca dobrável, não cola mesmo.

Bolsonaro sendo socorrido. Percebe-se grande hematoma na região abdominal

Além disso, segundo informou reportagem da TV Bandeirantes e replicada em diversos sites como “Crítica Nacional”, a interferência do policial militar (que estava à paisana) Erlon Rossignoli Jr foi essencial para salvar a vida de Jair Bolsonaro. No momento do golpe, Erlon agiu rápido e segurou o braço do criminoso, diminuindo não só a intensidade como também o tempo de permanência da faca em contato com o corpo de Bolsonaro. Isso foi essencial para que a lesão não fosse mais grave, o que poderia matá-lo de imediato.

Outro questionamento é que Bolsonaro não teria como retirar a camiseta para ser atendido. Eu não posso afirmar, pois não assisti pessoalmente a cena, mas já presenciei muitas cenas de emergência em que se rasga a roupa do paciente ou até o paciente já chega sem a camisa, visto que, durante o trajeto até o hospital, quem está socorrendo se desespera e tenta tomar alguma atitude, isso inclui retirar parte da roupa do acidentado. Na única foto que foi divulgada do atendimento que ele teve na Santa Casa, nota-se que ele está deitado sobre a camiseta que foi rasgada. E, na foto já se nota sangue. Isso já basta para questionar o “documentário”. Enfim, são todos argumentos pobres.

Há uma tendência de se acusar uma facada intencional como parte de uma manobra para alavancar a candidatura dele, mas isso seria desnecessário. Apesar da grande mídia apontá-lo como um inútil, o povo já estava acordando. Prova é a grande multidão que o carregava, Oportunamente tenho lembrado do Dr. Enéas Carneiro, um dos homens mais inteligentes, cultos e preparados para presidir o Brasil e, no entanto, a mídia vendeu dele a imagem de um desequilibrado inútil. Sendo assim, Bolsonaro não precisava de um atentado, ele precisava é de uma imprensa isenta e idônea, que até hoje não existe. Ser esfaqueado não interferiria nisso.

O que parece ser muito difícil para algumas pessoas entenderem é que Bolsonaro conquistou a simpatia de grande parte da população que buscava acabar com a corrupção, sair das promessas e partir para a ação. Bolsonaro também contou com o apoio em massa dos militares. Com poucas exceções, quase todos os militares o apoiaram. Ele também conquistou a simpatia de grande parte da comunidade Judaico-cristã. O vice, Mourão, trouxe o apoio dos intervencionistas e da maçonaria (e que fique entendido que maçonaria não é satânica nem “do mal”. O resumo é que, da mesma forma como jogam militares cotra povo e vice-versa. jogam povo contra maçonaria e vice-versa enquanto forças verdadeiramente “do mal” agem livremente. Não entrarei em detalhes para não estender muito este artigo, quem, quiser se informe melhor). Com todo este apoio, a vitória dele era certa. Tanto que se pode afirmar que ele ganhou no primeiro turno, com aproximadamente 70% dos votos válidos Não fossem as falcatruas que já sabemos que existiram, nem sequer existiria segundo turno. Porém, na ânsia pelo poder (ou por não abrir mão dele) a mídia conduziu de tal forma que mostrou uma vitória com apenas 10% a mais de votos e num sofrido segundo turno que só existiu pela hipocrisia de uma mídia inútil e manipulativa.

Esta mesma mídia ainda luta para derrubar Bolsonaro a qualquer custo. Isso inclui manipular um vídeo que já foi analisado por peritos, já foi descartada a hipótese de fraude, mas a insistência está em conduzir os mais leigos ou os inconformados numa tentativa debalde de se livrar de Bolsonaro. Posso até estar enganada, afinal, a mídia podre parece ainda ter um certo poder, mas ainda que se questione todo o apoio que ele recebeu e recebe da população de bem, ainda que se convença todos os eleitores dele que ele, de fato, fraudou o atentado, há um apoio que ninguém conseguirá tirar dele. A frase “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos” é muito mais do que um slogan, é um compromisso com o Brasil e com Deus. E alguém que faz um pacto com Deus jamais poderá mentir e jamais poderá perder para adversários que utilizam métodos tão baixos e questionáveis.

E ainda que conseguissem provar esta insana teoria em que inúmeras pessoas seriam subornadas para sustentar um atentado fake, se levarmos em conta que, em pouco mais de um mês de governo, Bolsonaro já realizou tantas mudanças positivas, nestas alturas, ninguém questionaria. A grande verdade é que continuamos numa batalha entre o bem e o mal e quem tem olhos para o mal, acaba literalmente encontrando pelo em ovo. Que a Luz do Eterno traga a verdade em definitivo. E cale as vozes que lutam não contra Bolsonaro mas contra o Brasil. Que este país tenha direito a se reestruturar. E nunca mais se levantem perseguições injustas. Que os verdadeiros culpados sejam punidos e os perseguidos injustamente sejam poupados. E, aconteça o que for, que esta mídia corrompida, podre e inútil seja soterrada. Que a verdade sobre Enéas Carneiro, sobre Ulisses Guimarães, sobre bastidores da política e das notícias, sobre a Multiterapia e tantas outras notícias que foram sempre barradas e omitidas do público venham à tona. E estes assassinos que já foram denunciados e ainda estão soltos zombando de todos sejam, enfim, trancafiados para nunca mais causarem mal a ninguém.

Pastor orando por Bolsonaro Foto Internet

Outros fatores precisam ser verificados. Mas não quero tornar este artigo longo demais. Assista a este vídeo original e sem cortes nem edições e tire suas conclusões. Antes porém, preste atenção aos minutos e cenas a seguir:

Até o 6º minuto tudo normal, Bolsonaro é carregado pelo povo que brada “O capitão chegou” “Bolsonaro, presidente do Brasil” e outras frases nesta linha. Em 6:36 ouve-se: “abre espaço, abre gente”. A partir de 7:22 pode-se avistar Adélio portando a faca (que é grande sim) e envolta numa espécie de jornal ou pano, não se distingue direito. Talvez seja um pano já que, em alguns vídeos, é possível se ouvir “me dá o lenço” Em 7:26 há a primeira tentativa de Adélio no ataque com a faca envolvida em jornal/pano, há quem afirme que foram os seguranças, mas parece que são pessoas do povo que gritam: Não dá pra passar por cima dos outros não. (7:34). Na sequência gritam: – Calma, cara! Mais calma rapaz, não dá agora, cara! 8:07, um homem olha para a câmera e parede assustado, enquanto outros dizem: – Calma irmão, Tem que ter paciência.

Enquanto o povo grita “A nossa bandeira jamais será vermelha”, Bolsonaro desce ao chão pela terceira vez, revezando novamente a pessoa que o carrega. Neste momento (8:20) alguém diz algo como “Dá uma viradinha, patroa”, provavelmente para a mulher deixar Bolsonaro passar (há uma mulher que aparece nítida em outro vídeo e faz tudo pra chegar em Bolsonaro), mas há quem afirme que foi dito “Dá uma viradinha e pontua” Em 8:25 perguntam: Alguém quer pegar ele? Naturalmente referindo-se a quem gostaria de carregá-lo. Alguém diz me dá o lenço, mas isso é dito depois que já pegaram Bolsonaro e já o estão erguendo de novo. Rapaz olha pra câmera e diz, Ai que loucura aqui, cara! O rapaz de azul que já está desconfiado de Adélio diz algo inaudível, da impressão que diz que “estão em quatro”, depois diz: Fica de olho nele(s)! Fica de olho nele! Fica de olho nele! (isso ocorre de 840 a 8:47) Começa um tumulto, gritam: – Aqui, aqui, Ó, Ó, péra ai cara ou péra ai pai? Fica a dúvida. Da impressão que alguém diz “a faca na mão dele” Isso ocorre de 8:47 até aproximadamente 9:13. Alguém grita – Ai estou quase caindo, solta um palavrão. Nesta hora o homem vai ao chão. O povo continua gritando “eu vim de graça”, “cuidado, cuidado”, “Lula ladrão, seu lugar é na prisão” 9:33 ocorre o ataque, 9:38 alguém grita o “que este fdp fez?” “Não te falei, rapaz, não te falei?” 9:48 o rapaz que filmava se desespera e diz: “Acertaram ele, porra! Deram um tiro no Bolsonaro” Embora alguns afirmem que Bolsonaro ficou em pé, na verdade ele estava ainda meio erguido e sendo arrastado pela multidão. 10:06: Calma, calma! Fecha aqui. Afasta, afasta! Emergência. Assunto do Exército. 10:15 a 10:29 tela escura, todos falam ao mesmo tempo. 10:22: o carro, o carro, chama o carro ai!. 10:29 Bolsonaro está deitado no chão, muita gente ao seu redor, alguém pressiona de leve uma toalha de rosto no local do ferimento. 11:06 Outra pessoa passa a mão nos cabelos de Bolsonaro, neste momento se nota a palidez e a boca arroxeada de Bolsonaro, outra pessoa grita: “Não! Tem que filmar esta porra pra mostrar, cara! Repete. Tem um enfermeiro aqui. Na sequência, 11:10, alguém dá água a Bolsonaro com uma garrafinha. 11:27 rapaz que filmava grita: “Cara, acertaram ele na barriga aqui, cara!” Erguem e carregam Bolsonaro. 11:45: “Logo aqui em Juiz de Fora, aconteceu isso, cara! Não é possível, que vergonha, cara! Que vergonha esta cidade, cara!” 11:52: “Foi aquele maluco!”. Cessa o filme. Assista:

Análise facial:

Análise das lesões, sob ponto de vista anatômico, com análise de profissionais:

Análise 1:

Análise 2:

Análise 3:

Caio Coppolla analisa facada:

Pronunciamento MBL:

Leia mais sobre este assunto:

https://criticanacional.com.br/2018/09/07/policial-militar-a-paisana-salvou-a-vida-de-jair-bolsonaro/

https://acoluna.co/calma-o-facada-no-mito-e-util-mas-talvez-nem-tanto/

Análise do E-Farsas: http://www.e-farsas.com/bolsonaro-esta-com-cancer-terminal-e-a-facada-foi-um-disfarce.html

Oração por Bolsonaro estar com problema estomacal:

https://www.opiniaocritica.com.br/2018/09/oracao-bolsonaro-antes-atentado-foto-cirurgia.html

https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-10-17/adelio-bispo-pensao-morte.html

https://noticias.r7.com/saude/entenda-por-que-nao-havia-sangue-apos-a-facada-em-bolsonaro-08092018

Leia também, diversas testemunhas apontam mandante e cúmplice do atentado a Bolsonaro, clique aqui