Esta nota está pronta desde dia 18/01/2019, porém, pelo enredo do caso Flavio Bolsonaro, este foi tratado como prioridade e esta nota deixada em rascunho. Agora, com o caso Flavio explicado em rede nacional, volto a este importante tema. Abertura da caixa preta do BNDES.

BNDES Foto Internet

Vale lembrar que, segundo o analista político Marco Antonio Villa,  esta questão iniciou-se em meados da década de 1980 com a tomada de algumas prefeituras pelo PT.  Foram elas: Ribeirão Preto, Santo André e São José dos Campos. Em Santo André, em 2002, o Prefeito Celso Daniel foi assassinado. Ainda segundo Villa, em Janeiro de 2003, o PT tomou o Estado e já tinha um esquema formado de “assalto ao erário” sem constrangimentos e sem deixar vestígios, com saques em fundos de pensão, bancos/empresas estatais, estruturas dos Ministérios, utilizando-se do BNDES. Aqui uma observação importante: Deve-se lembrar que, apesar do PT ser muito citado, outros partidos e governos esquerdistas também colaboraram para o desenrolar deste quadro caótico.

Esta abertura da caixa preta do BNDES promete trazer à tona todas estas negociações, desvios e irregularidades.  No dia 18/01/2019, o Presidente Jair Bolsonaro anunciou “Ainda vamos bem mais a fundo! BNDES divulga interessante link identificando os países que usaram os recursos financeiros do Brasil e os motivos dos empréstimos.”

Bolsonaro foto pública Internet (acervo pessoal)

Neste link, citado por Bolsonaro,  é possível verificar a lista de países que receberam verbas brasileiras para inúmeras obras e ações (incluindo lista de valores). A notícia revoltou os acordados e incitou os desavisados a tentarem uma justificativa para tanto dinheiro desperdiçado em Angola e Venezuela, por exemplo.

As alegações dos acordados, em síntese, foram que  o BNDES investiu dinheiro nosso, ganho em nosso país, em outros países, sem retorno. Algumas dívidas, inclusive, foram perdoadas no governo Dilma.  Isso aliado ao fato de as empresas brasileiras, quando investiram ou investem em outros países desenvolvidos, não tiveram nem tem nenhum incentivo do BNDES. Desta forma, não há mentalidade correta de investimento do dinheiro visando um retorno independente da politica aplicada em determinado país. Correto seria ter-se investido em empresas brasileiras, ou estrangeiras instaladas no Brasil, isso geraria empregos e recursos no próprio Brasil.  Mas este pensamento não foi prioridade nos governos anteriores. Resta agora torcermos para que toda a verba desviada possa ser recuperada ou, se não for recuperada em sua totalidade, ao menos, que o Brasil consiga parar estes desvios e começar a investir em si mesmo. A prioridade deve ser o investimento dentro do Brasil para gerar recursos para o Brasil.

Opiniões e análises sobre este tema. Assista aos vídeos:

Acesse o link e saiba, na íntegra, a lista dos países e os valores “investidos”, clique aqui