Em meio a muitas manchetes sensacionalistas, uma se destaca: “O presidente Jair Bolsonaro assinou ontem (1º), a medida provisória que retira a população LGBT da lista de políticas e diretrizes destinadas à promoção dos Direitos Humanos.” Esta notícia foi veiculada pelo Correio Brasiliense que, em seguida, publicou artigo afirmando que LGBT continua sim na lista. Aliás, no mesmo artigo de manchete contraditória, é citada a continuidade de direitos para LGBT. Ou seja, tudo continua como antes, mas vamos discutir o que, de fato, continua e o que muda? Neste artigo eu mostro a realidade.

 

Foto: Dreamstime

Foi um árduo trabalho. Durante muitos anos, fomos sendo divididos em grupos, classes, populações, chamem como quiserem. Foram incentivadas lutas entre estes grupos e isso, como sempre cito, é o princípio das guerras e das destruições. Se você quer exterminar um povo, comece por dividi-lo, incite-o a lutar pelos direitos das minorias e, logo, este povo deixará de existir porque terá se virado uns contra os outros. Simples, a estratégia. Deste modo, as disputas foram se instalando no Brasil, homossexuais versus heterossexuais, negros versus brancos, pobres versus ricos e vice-versa. Todas as “lutas” prejudicam a todos os envolvidos e beneficiam uma real minoria que detém todo o “poder”. Isso se repetiu por muitos anos no Brasil, são quase trinta anos plantando e incentivando esta disputa entre os brasileiros. Se retrocedermos mais no tempo, perceberemos que esta disputa já está sendo plantada no Brasil e no mundo há muito mais tempo. Mas este é tema para outro artigo. Vamos nos ater a apenas aos recentes trinta anos.

Ano após ano, os brasileiros de bem, cada vez mais acuados, sentiam-se fragilizados pois parecia que nunca surgiria alguém que quebrasse esta manipulação. Até que surgiu um homem considerado rude, meio troglodita, que come com o prato na mão, fala palavrão, beija a esposa no meio de uma solenidade, assina com uma caneta Compactor Economic, (uma marca 100% brasileira e que custa pouco mais do que a metade do preço de uma BIC, caneta que foi anunciada como sendo do Presidente) e tem sido ridicularizado e rejeitado por alguns que não aceitam de forma alguma que as coisas mudem. Para estas pessoas, o caos instalado parece ser ideal e não admitem sequer que haja uma tentativa de mudança. São estas pessoas que buscam, avidamente, uma notícia dúbia ou tendenciosa, (algo bem comum em nossa mídia corrompida) para anunciarem o quanto o Brasil está “perdido” diante dessas mudanças que apenas se iniciam.

Foto: Dreamstime

A realidade é que o governo deverá pensar em todos como, acima de tudo, brasileiros, independente de seus credos, gêneros ou quaisquer opções. Em relação a este artigo tão citado pelos esquerdistas desesperados, há um detalhe que, basta ler o artigo na íntegra, se percebe. Nos terceiro e quarto parágrafos se lê: “Na tarde desta quarta-feira (2/1), ao tomar posse, Damares assegurou que a pauta LGBT continua sendo uma atribuição da pasta. Segundo ela, a Diretoria de Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais será mantida, com a mesma estrutura, na Secretaria Nacional de Proteção Global. Ela ressaltou, ainda, que o tema já era tratado por uma diretoria na estrutura anterior. Na estrutura do novo ministério existem oito secretarias nacionais: Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres; Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente; Secretaria Nacional da Juventude; Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; Secretaria Nacional de Proteção Global e Secretaria Nacional da Família. O Conselho Nacional de Combate à Discriminação continua, mas de acordo com o decreto, tem a função de formular e propor diretrizes de ação governamental.”

Lamentavelmente, estão divulgando o artigo sem sequer lê-lo, pois lendo estes parágrafos se percebe que a população LGBT continua sendo considerada, apenas estará inserida na pasta global Secretaria Nacional de Proteção Global. O que se nota, atualmente, é que as pessoas não leem mais os artigos na íntegra, quando leem, não conseguem entender. Leem uma manchete ou veem uma foto e julgam todo o conteúdo sem sequer saber do que se trata. Na ânsia de chamar público, se coloca uma manchete sensacionalista como esta citada no início e muitos desavisados saem compartilhando sem ler. O resultado é desastroso para o Brasil, é o presente e o futuro de uma nação inteira que estão em jogo. Não dá mais para perder tempo com pessoas que ainda não entenderam a necessidade de mudanças e de readaptação de TODOS pelo bem de TODOS. É preciso que TODOS tenham direitos iguais. A união dos brasileiros de bem deve prevalecer. Invés de exaltar minorias, o governo deve buscar o bem-estar de todos sejam héteros, homos, brancos, negros, pobres, ricos. Antes de ser minorias somos todos brasileiros. Só isso! É uma luta árdua, como já citei, foram muitos anos plantando a discórdia e a ideia de que sendo minorias somos mais “unidos” por “movimentos” que só isolam, mas demonstram unir. Na verdade, só unindo a todos como um só povo, seremos, de fato, fortes. Felizmente muitos homossexuais já entenderam isso e já estão engajados buscando a união do Brasil. Os que ainda não entenderam precisam perceber que terão muito mais proteção se forem considerados cidadãos brasileiros com direitos e deveres iguais a todos do que se forem sempre tachados de minoria LGBT. Como minoria são isolados, como cidadãos integrados ao todo se tornam mais fortes. Assim é com todos os considerados minoria, ao se integrarem ao todo serão fortes como POVO BRASILEIRO.

Aos considerados formadores de opinião, sugiro que chequem bem antes de divulgar porque se pode gerar muitos mal-entendidos, apenas divulgando manchetes sensacionalistas. Para isso já há a grande mídia empenhada em distorcer fatos. Cabe a nós que somos do BEM, divulgarmos VERDADES. Ou, na impossibilidade de divulgar verdades, melhor nada divulgar. E ao público leitor cabe uma maior atenção ao que se publica, ler tudo na íntegra, checar as fontes, verificar se o artigo é bem-intencionado ou tendencioso, se a intenção é apenas informar ou manipular as informações. É preciso perceber que cada um entende um texto como quer. Uma vírgula mudada de lugar pode mudar todo um conceito. A situação que o país vive há anos é crítica. Acho que a intenção de todos deve ser melhorar o país. Então, cada um com sua opinião e entendimento e todos buscando um país melhor para todos.

Conheça os livros impressos e Digitais de Anna Lou Olivier (Lou de Olivier)
Foto: Dreamstime

A mídia trava uma luta desigual com o público, especialmente, os leigos. Cabe aos que são mais esclarecidos a árdua missão de levar este conhecimento a todos. Eu estou fazendo a minha parte, publicando este e outros artigos esclarecedores. Faça a sua parte, compartilhando este blog com seus contatos. 

Artigo assinado por Gabriela Vinhal, esclarece que população LGBT continua sendo atendida pelos Direitos humanos, clique aqui

Artigo que desencadeou o mal-entendo sobre população LGBT pois a manchete diz algo e o artigo relata o oposto, clique aqui